Levantei-me do Chão

levantei-me-do-cha%cc%83o-098

dia 25 de Setembro

22 horas

Cine-Teatro Garrett

Levantei-me do Chão

pelo ALGURES Colectivo de Criação

de Carlos Marques a partir de Levantado do Chão de José Saramago e outros textos

 

Carlos Marques Criador, músico e interprete

Susana Cecílio Apoio à criação

Nuno Borda de Água Dispositivo cénico

| João Bastos Apoio técnico e musical

Rodolfo Pimenta Vídeo

Susana Malhão Designer Gráfica

Candela Varas Produção na criação

ALGURES, colectivo de criação

 

Classificação Etária: M/12

Duração Aproximada: 75 min.

 

Sinopse:

Levantamos o pó dos tempos, levantamos um livro bem lá no alto, levantamos ainda cabeça e o corpo, e acima de tudo tentamos levantar-nos como comunidade.

Um músico de hoje conta e canta as histórias do livro – Serão necessárias novas músicas de intervenção? – Numa conversa franca com o espetador vamos descobrindo a musicalidade nas palavras e nas ideias de Saramago. Aqui reflete-se sobre a democracia – que mundo queremos afinal? E tudo isto num concerto.

Um solo de um contador de histórias carregado da memória afetiva da leitura e da importância dos conhecedores da obra do Nobel, ou um músico de canções avulsas oriundas das palavras de Saramago e, ainda, um actor submerso num texto inédito e assumidamente fragmentado.

Um espectáculo baseado no livro onde se diz – à laia de mito – que o autor descobriu o estilo saramaguiano de narrar.

Sobre a Algures

A ALGURES é uma associação sem fins lucrativos que promove os projectos dos artistas associados. O território que ocupa está na singularidade de cada um dos seus colaboradores. Artistas de teatro, músicos, psicomotricistas, dedicam-se às artes performativas e educativas, captando novos públicos através de espectáculos, formações, sessões de contos, programação e trabalho com a comunidade.

Entre 2008 e 2013 a sua principal actividade incidiu na área da formação artística, gerindo o Espaço Evoé (escola de teatro, dança e música) e na investigação teatral, desenvolvendo trabalhos sobre a palavra, o corpo e a narração no teatro; trabalhando autores como Mia Couto, Bernardo Santareno, Ionesco, Homero, entre outros.

Em 2014 a ALGURES vira a página na sua história e assume-se principalmente como entidade de criação de espectáculos, através dos seus criadores mais activos: Susana Cecílio e Carlos Marques. Estes criadores dedicam-se também à programação de projectos transdisciplinares na área do teatro, narração oral, spoken word e da mediação cultural.

Ao longo do seu percurso tem obtido inúmeros apoios para os seus projectos, através dos seus colaboradores, nomeadamente de instituições como a Fundação Calouste Gulbenkian, a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, a Fundação José Saramago ou a Secretaria de Estado da Cultura, e parcerias com outras estruturas culturais.

Anúncios