Violência Doméstica e Abuso Sexual Infantil apresentados em Teatro

O Varazim Teatro escolheu mais um tema de grande impacto social para debater e refletir após o espetáculo

 

 

 

Metades é o título do espetáculo que aborda os difíceis temas da Violência Doméstica e do Abuso Sexual Infantil, este espetáculo surge na linha de pesquisa do Varazim Teatro, de um teatro que procura ser um convite à reflexão de grandes temas, através também da exploração de novas formas de contacto com o público. Em produções anteriores pudemos ver abordados temas como a Corrupção, a Eutanásia, na 39ª produção do Varazim Teatro, estreada em 2012 e que volta agora a cena, somos convidados pelo cartaz a entrar no Espaço d’Mente, uma porta de garagem grafitada não faz antever as escadas com passadeira vermelha que nos darão acesso a uma pequena sala de espetáculos. Os espetadores da primeira fila ficam a menos de meio metro da cena, uma sala-cozinha, onde os personagens irão passar um dia inteiro, nos cerca de 55 minutos que dura o espetáculo. Todo o espaço se confina aquele momento. Há apenas um corredor de acesso ao lugar, onde o espetador ficará irremediavelmente sentado e ficará também ele a viver o mesmo tempo que Marta e Maria. As duas personagens femininas parecem viver num tempo que não passa, que se repete, no tempo de um aparente desinteresse e apatia. Na pequena casa de Marta e Maria vão desfilando perguntas, vão sendo sugeridas memórias. Personagens e espetadores não podem sair. Na proximidade e nas memórias convocadas, os cheiros da casa atravessam a quarta parede, saem de cena e espalham-se pelo espaço. Que memórias nos trás o cheiro a café? Espetador viaja pelas suas e pelo suspense da história. Ele? Não pode vir cá ninguém. O paradoxo está instalado, Maria não quer que a vejam, recusa-se a abrir a porta, ao mesmo tempo que fita o infinito cheio de rostos da plateia. Como alguém que assistiu já disse, Metades é um espetáculo irremediavelmente intenso, retirando a parede que encobre muitas vezes a vergonha, as vítimas e o anonimato, dando-lhes dois rostos e uma história.

Metades volta a cena dois anos depois, porque o debate não se esgotou, porque é necessário que se fale, que se pense e que não se feche os olhos.

Metades é um teatro que acredita.

 

Com encenação de Eduardo Faria e o texto criado coletivamente pelo encenador e pelas atrizes Joana de Sousa e Joana Soares, conta ainda com música original de Paulo Lemos. A fotografia de Cena é de Rita Rocha e a realização do Trailler de Eduardo S. Faria.  Esta é a 39ª criação do Varazim Teatro que conta à data com 45.

 

Apresentações dias 30 e 31 de Maio, 6 e 7 de Junho, pelas 22 horas no Espaço d’Mente*

 

*Rua da Fortaleza, 20 – Póvoa de Varzim

 

Anúncios