Metades

“Um espetáculo que remete para um tema atual e uma das maiores preocupações sociais contemporâneas. Muito pertinente e muito bem representado. Parabéns!” Espetador Identificado, Vila Nova de Gaia

METADES

pelo Varazim Teatro

uma criação coletiva por Eduardo Faria, Joana Soares e Joana Sousa
com encenação Eduardo Faria

interpretação Joana Soares e Joana Sousa
e música original Paulo Lemos
 

duração: 60 minutos
Classificação etária: M/16

sinopse:
Num espaço fechado, num tempo infinito, num dia repetido à exaustão.
Marta e Maria desafiam as horas, encontram motivos para que o dia avance.
Viajam entre o passado e um eterno presente que as aprisiona.

“A violência faz calar o pensamento. Fecha os olhos, rouba o espírito, rouba  a iniciativa e bloqueia a liberdade. Antes de explodir e de semear o medo, antes que brote num coração angustiado, cresce e corrompe na sombra. Faz parte da vida íntima, dos lugares mais profundos da alma, e permanece ao longo de toda uma vida.
A violência na família é algo tantas vezes calado, abafado para lá da entrada da porta, sofrido em silêncio em nome de algo que se acredita maior, por um grito que não se chega a dar, por uma vida que nunca se chega a viver.”

Num diálogo surdo mas pleno de afeto, Marta e Maria apenas sobrevivem à sua própria história.

sobre o espetáculo:
Metades é a 39ª produção do Varazim Teatro, e retoma a linha de abordagens sobre temas incontornáveis da nossa sociedade.
Com base numa pesquisa e reflexão sobre os impulsos e motivações dos implicados na ação de violência de género, agressores e vítimas, Metades é uma viagem ao interior dessas memórias e desses personagens. Com base num trabalho de construção do texto e da cena através de improvisos sobre o tema, a trama da ação desenrola-se lentamente, assim como os dias das duas personagens femininas. É a primeira vez que o Varazim Teatro se aventura nesta técnica de criação de espetáculos, em que ator-improvisador, transforma-se também em dramaturgo e goza de uma liberdade essencial, sendo peça fulcral na criação.
Como resultado obteve-se um espetáculo surpreendente onde se trabalhou sobre a intensidade das emoções e onde o espetador é levado a usar todos os seus sentidos.
Apresentado no Espaço d’Mente, nada convencional comparado com uma sala de espetáculos, o espetador em proximidade com a cena, partilhará olhares, sons, cheiros e histórias.

Anúncios