Varazim Teatro

O Teatro continua a ser o nosso caminho

Joana Soares (atriz, cenógrafa)

Nasce no Porto a 6 de abril de 1977. Depois de muitas indecisões, cursa a Escola Superior de Artes e Design onde se Licencia em Design no ano de 2000.
Faz o último ano do curso no Politecnico di Milano, Facoltá di Architettura, onde faz formação na área da cenografia.471132_3365265298052_923188211_o
Faz Curso Intensivo de Iniciação Teatral, em 1996 com Castro Guedes.
Sendo uma das fundadoras do Varazim Teatro, o seu percurso teatral tem a mesma idade e contornos que o da Associação que ajudou a erguer. Não se assume apenas como atriz, pois é também cenógrafa e figurinista, entre outros afazeres ligados á arte teatral. Realiza como atriz diversos espetáculos e animações e cultiva a arte de contar histórias.
Destacam-se como atriz os seguintes espetáculos: Desimaginação, de António Pedro, encenação de Castro Guedes; À Procura da Lua, criação e encenação de Anabela Garcia; Catástrofe, de Samuel Beckett, encenação Anabela Garcia; Diz Contos, encenação Anabela Garcia; Se não Bigo não Digo, de Patrícia Portela, encenação coletiva; Delfina, de Susana Poujol, encenação Eduardo Faria; Sede, criação e encenação Joana Soares; Metades, criação coletiva, encenação Eduardo Faria.
Em 2007 inicia-se no campo Editorial, coordenando a publicação Sub-Texto. Em 2009 estreia-se na dramaturgia com o texto Sede, que leva a cena.
Acredita na palavra escrita, e na palavra que se diz a um outro que a escuta, e nesse jogo acredita também nos objetos que nascem das histórias e nas histórias que se erguem perante os olhos dos outros.

Sonha que um dia terá uma Fábrica de Fazer Mundos

Anúncios

Information

This entry was posted on 26 de Setembro de 1997 by in As Pessoas.

Navegação

%d bloggers like this: